Você está na:    Página InicialNotíciasIntimação a profissionais da Fisioterapia que utilizam a carboxiterapia
Imprimir


Intimação a profissionais da Fisioterapia que utilizam a carboxiterapia
OFÍCIO GAPRE 1347/ 2012  -CREFITO 11

 

 

Prezados,

                        Este Conselho foi noticiado acerca de possíveis questionamentos dos Inspetores da Vigilância Sanitária sobre o uso profissional  da carboxiterapia “por não apresentar a capacitação em Dermatofuncional comprovada pelo COFFITO – CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL.”

                        Cumpre esclarecer que nos termos do ACÓRDÃO n. 239 de 16 de junho de 2012 (PARECER TÉCNICO DE DERMATOFUNCIONAL), no item CARBOXITERAPIA, subitens I e II, os profissionais poderão aplicar a técnica acima descrita se forem capacitados por curso de formação profissional em carboxiterapia ou por especialização em dermatofuncional e, ainda, em ambos os casos, ter curso de primeiros socorros, ou seja, não existe, apesar de ser recomendável, a obrigatoriedade normativa exclusiva de ser especialista em DERMATOFUNCIONAL.

Contudo é obrigatório aos fisioterapeutas que trabalham ou desejam trabalhar com carboxiterapia apresentar junto ao CREFITO os documentos que comprovem a devida habilitação para atuar com a técnica, conforme subitem III, e comprovar também conhecimento teórico e prático em PRIMEIROS SOCORROS, por meio de certificado de conclusão do curso de SUPORTE BÁSICO DE VIDA (BASIC LIFE SUPPORT, BLS) ou outro que garanta a formação necessária para os primeiros socorros.

“..

A carboxiterapia por sua complexidade é admitida pelo COFFITO como técnica de risco, factível de desenvolver efeitos adversos.

Como se trata de procedimento de risco é recomendável ao fisioterapeuta ser especialista profissional em fisioterapia Dermatofuncional e ainda observar os critérios abaixo especificados:

I. No caso de profissional capacitado, porém que ainda não é especialista profissional, apresentar junto ao CREFITO documentos que comprovem devida habilitação para atuar com a técnica.

II. Comprovar junto ao CREFITO de sua circunscrição conhecimento teórico e prático de primeiros socorros por meio de certificado de conclusão de curso de suporte básico de vida (Basic Life Support, BLS); ou outro que garanta a formação necessária para os primeiros socorros;

III. Utilizar, exclusivamente, equipamentos com cadastro ou registro pela ANVISA e manter em seu poder tais documentos comprobatórios para fins de fiscalização do CREFITO de sua circunscrição.”

(Parecer técnico de dermatofuncional –Acórdão COFFITO  nº. 293 de 16 de junho de 2012 localizável em http://www.coffito.org.br/publicacoes/pub_view.asp?cod=2292&psecao=1)

                  Pelas razões acima expostas é o presente ofício para informar que quando da necessária fiscalização da Vigilância Sanitária é importante que os inspetores verifiquem se os profissionais possuem CAPACITAÇÃO em Carboxiterapia, OU ESPECIALIZAÇÃO em dermatofuncional e, também, Curso em Primeiros Socorros (com selo ou carimbo de registro do CREFITO 11 para os cursos de Capacitação em Carboxiterapia e em Primeiros Socorros, e selo ou carimbos de registro do COFFITO e do CREFITO 11 para os certificados Especialização em Dermatofuncional) como determina o Acórdão referido.                           

Dr. Bruno Metre Fernandes

Presidente

Fonte: CREFITO11  http://crefito11.org.br/2013/01/08/vigilancia-sanitaria/